Pular navegação e ir direto para o conteúdo

Pular navegação e ir direto para as categorias

Pular navegação e ir direto para a lista de colunistas

Pular navegação e ir direto a assinatura do Feed RSS

Artigos do autor Marco Aurélio Santana


Expo_mendell_brasília_01

Após uma temporada de três meses de grande sucesso em São Paulo, a Exposição Pierre Mendell: Cartazes, chega à cidade de Brasília cercada de expectativas e trazendo novidades.

Em cartaz desde 06 de março, a maravilhosa mostra dos cartazes do artista gráfico alemão Pierre Mendell, desembarcou na capital federal, impulsionada pela grande repercussão em São Paulo. “Uma exposição em Brasília é um sonho que se realiza” expressou Pierre Mendell, conforme nos contou a curadora da exposição, Bebel Abreu. Mendell já havia se declarado um grande admirador do trabalho de Oscar Niemeyer.

A mostra ocupa os mais de 400 m2 na galeria principal do prédio da Caixa Cultural Brasília. O lugar já é conhecido de Bebel Abreu que em 2006 montou na mesma galeria a mostra “Ilustrando em Revista”, da Editora Abril.

Projeção do filme - At First Sight - de Pierre Mendell, até então inédito no Brasil

Visitante contempla o cartaz Diante de Deus todos os homens são iguais

Ler o texto completo »


O Graffiti é realmente uma expressão artística que, mesmo com o passar do tempo, não se cansa de tomar novo fôlego.

Das ruas, seu habitat natural, foi gradativamente ganhando as galerias de arte de todo o mundo e ultimamente vem surgindo entre as mídias digitais como apresentado na instalação Graffiti Wall.

Desenvolvida pela Tangible Interaction, sob a batuta de Alex Beim, a interface foi desenvolvida para o Richmond Winter Festival, este é um festival cultural no Canadá.

Segundo seus criadores, o aparelho é uma interface multi-usuário e pode ser reproduzida em praticamente qualquer tamanho.

Estamos mesmo vivendo um surpreendente período de transição onde arte, design e tecnologia vêm cada vez mais se fundindo e se redefinindo.

Pensar com Tipos

Pensar com Tipos de Ellen Lupton é uma das mais recomendadas obras sobre tipografia em todo o mundo, tornando-se uma excelente referência em qualquer bom curso de tipografia e um guia básico para designers e estudantes.

“Este não é um livro sobre fontes. É um livro sobre como usá-las”, esclarece a autora logo no inicio do livro. Pensar com Tipos é dividido em três seções – LETRA, TEXTO e DIAGRAMA – tratando desde os tipos de metal até o computador, sendo os temas apresentados em didática simples e agradável.

O livro é cheio de exemplos práticos que acompanham o discurso teórico, que o deixam rico e bem estruturado. No início de cada capítulo é sempre apresentado um panorama histórico, em que a autora, em reflexivos ensaios discute a função e a tradição da tipografia e os rumos da comunicação visual contemporânea.

A capa do livro é um diferencial muito interressante, pois foi realizada em um ateliê lambe-lambe em São Paulo, sendo apresentada em quatro versões.

Outra ótima característica do livro é um capítulo de “dicas úteis”, onde podemos encontrar informações muito importantes para designers sobre a edição e revisão de textos, além de muitas dicas para construções de frases e uso de pontuação.

Ellen Lupton é uma das mais renomadas designers americanas, sendo autora de outras expressivas publicações como: Design Writing Research e Design Culture Now.

Mais:
Site oficial do livro

Outdoor adidas para campanha Impossible is Nothing na Alemanha. Não permitido em SP

Passada a implementação da “Lei Cidade Limpa”, a qual bane a publicidade em mídia exterior em São Paulo, publicitários e designers gráficos, buscam alternativas para a veiculação de anúncios, enquanto aguardam o lançamento da licitação do mobiliário público pela prefeitura. Parte dos recursos, antes destinados aos outdoors, foi redirecionada para a internet, jornais e rádios, além do aumento no número de anúncios indoor. Mas o que esperar da criatividade dos anúncios diante de uma legislação tão restritiva?

Geralmente, o que se espera do anúncio de um produto é o incentivo às vendas do produto, a popularização do produto e da empresa, a consolidação de slogans, entre outros, porém os anúncios em mídia exterior na cidade de São Paulo vinham sendo caracterizados por aspectos negativos dos mais diversos e apresentando uma enorme falta de criatividade. Excesso de informação como apresentação de diversos telefones, websites, e-mails e textos imensos (sobretudo em anúncios de vestibular), faixas sobre postes e distribuição espacial sem nenhum critério que favorecessem a legibilidade do público, tornaram a comunicação visual na cidade caótica e precária.

Durante a abertura da exposição Pierre Mendell – Cartazes, na Caixa Cultural Sé, os designers Alexandre Wollner e Fernanda Martins, ressaltaram este aspecto negativo na comunicação visual da cidade e mais que criticar a ação da prefeitura, lançaram reflexões e possíveis propostas, além de estimularem os designers a serem mais criativos e engajados em pressionar a prefeitura para a criação de espaços de publicidade bem definidos e regulamentados.

Anúncio Security Glass da 3M em ponto de ônibus no Canadá

Um excelente anúncio realizado com criatividade foi o amplamente conhecido Security Glass da 3M. O anúncio, instalado em um ponto de ônibus na cidade de Vancouver no Canadá, consistia de um painel de vidro recheado de dinheiro protegido pela película super-resistente da 3M, o qual se mostrou extremamente eficaz em seu propósito, pois além de divulgar o produto, levou o público a literalmente interagir com o anúncio por meio de pontapés e voadoras (contribuindo para credibilidade do produto e da marca), gerando ainda mais marketing através de mídia espontânea em TV, jornais e internet.

Ler o texto completo »

Pierre Mendell: Cartazes

Em cartaz desde 14 de novembro na Caixa Cultural Sé, a exposição “Pierre Mendell – Cartazes” traz a São Paulo obras do renomado designer gráfico alemão Pierre Mendell. A mostra, composta por mais de 50 cartazes criados para diversas instituições alemães, apresenta belíssimas peças desenvolvidas nos últimos 30 anos, de foco primordialmente cultural e social.

Ao longo de sua trajetória, Pierre Mendell estabeleceu um padrão singular de comunicação com seu público. A partir do uso de elementos simples e da brincadeira com formas e cores, o designer determinou um contra-ponto ao excesso de imagens que assolam a cultura contemporânea, e assim imprimiu ao design gráfico cotidiano não só o rápido, o claro e o simples, mas também levou seu público a enxergar seus cartazes não apenas com os olhos, mas também com a imaginação.

Detentor de um senso de observação privilegiado do mundo a sua volta, Mendell soube como poucos expressar em seus cartazes, que variam dos espetáculos de ópera às questões sociais, a essência do tema abordado. O público paulistano, que passou a discutir a comunicação visual na cidade em função da Lei Cidade Limpa, é presenteado, com esta exposição, vinda em tão apropriado momento, com beleza e inteligência.

A dualidade entre simplicidade e exatidão marca o trabalho de Pierre Mendell

Cartazes de ópera para o Teatro Municipal da Baviera

O público confere o trabalho de Pierre Mendell, pela primeira vez no Brasil

Diante de Deus todo os homens são iguais. Iniciativa do estúdio de Pierre Mendell

Alexandre Wollner analisa o trabalho de Pierre Mendell

Ler o texto completo »

Vantage Point

No Thriller Vantage Point (a ser intitulado Ponto de Vista no Brasil) com estréia nacional em março de 2008, dois agentes do serviço secreto são destacados para proteger o presidente americano durante uma conferência sobre a guerra mundial contra o terror. Quando o presidente é baleado logo após sua chegada, o caos toma o lugar e somos levados a ver a perspectiva de 8 pessoas sobre os mesmos 15 minutos antes e imediatamente depois do tiro, onde o verdadeiro motivo da tentativa de assassinato é revelado.

O design do cartaz é mais criativo do que a média de Hollywood, ainda mais para um filme suspense/ação. Buscando não apenas mostrar cenas de ação ou explorar exageradamente o elenco (que por sinal é muito bom: Dennis Quaid, Matthew Fox, Forest Whitaker, Sigourney Weaver e William Hurt), o cartaz explora de forma imagética o âmago do filme, que são os diferentes pontos de vista do assassinato, em uma figura humana (o assassino) em recortes com imagens de diversas cenas do filme.

O cartaz de Vantage Point é claramente inspirado no trabalho do designer americano Saul Bass para o cartaz do filme Anatomia de um Crime de Otto Preminger, que foi eleito o n°1 na eleição do 25 melhores cartazes de filme de todos os tempos, realizada pela revista Premiere. Saul Bass que é muito conhecido por seu trabalho de design gráfico para abertura de diversos filmes, utilizou em Anatomia de um Crime, a figura de um corpo caido (a vítima) em recorte.

Em março/2008 poderemos conferir se Vantage Point é tão bom quanto seu cartaz.

Mais:

Site Oficial
Trailer do Filme
Os 25 melhores posters de filme de todos os tempos

Sobre

O Design Coletivo é formado por 8 designers, interessados em criação de conteúdo relevante sobre design e seu reflexo no mercado, além do estímulo do debate nos assuntos referentes à area.

Leia a descrição completa

Destaques